domingo, 30 de março de 2014

CENAS GUARDADAS








CENAS GUARDADAS


Tantas estórias que se confundem

Nas lembranças da infância

Na saudade; tanta

Na certeza de jamais esquecer.

Emoção que extravasou

Nos momentos inesquecíveis

Na certeza do grande amor.

Todos nós com uma cena para guardar:

Um riso, tantos afagos, o carinho único...

Com a convicção que não haverá outro igual.

De repente, todos nós crescemos

Partimos...

Deixando aqueles olhos minados

Tão calados!

Um dia, voltamos

Muitas vezes, na sua partida

E pensamos:

Perdoa, Mamãe

Precisava conhecer o mundo

Encher-me de feridas.

Muito tarde!

Seus lábios estão selados

O adeus rescende por todos os lados.



Marcos Sergio T. Lopes